Mateus 27, 46 (Salustiano)

MATEUS 27, 46.   Na tarde que caía A tinto da face reluzia O sangue que escorria, A vista que plúmbea ardia A avistar a covardia Que ora lhe submetia.   A dor que o acometia, Chegando plena e tardia No temor que o sucumbia. A cabeça que pendia Não mais conseguia Ver a multidão […]

Mais...