PEDRO TORRENS

PEDRO TORRENS

Cadeira 18

PEDRO TORRENS (*1894 +1973)

PEDRO TORRENS, um homem de imprensa:

O joinvilense Pedro Torrens, de tradicional família aqui estabelecida antes mesmo da fundação da cidade, veio ao mundo a 17 de setembro de 1894. Pai de 3 filhos, cedo enveredou pelo meio jornalístico.

De um período em que se estabeleceu na cidade catarinense de Canoinhas, fundou o jornal “Avante”, um semanário que circulou a partir de 21 de janeiro de 1930, sendo publicado até 1936.

A partir de 1946, por convite de Aderbal Ramos da Silva, futuro governador do Estado e que se tornara um dos novos proprietários do jornal “A Notícia”, mudou-se para Joinville onde assumiu a direção do jornal, ao qual permaneceu vinculado pelo resto de sua vida, nele também atuando como redator e fazendo da escrita um hábito que manteve até falecer.

Em 1969, convidado pelo pesquisador Adolfo Bernardo Schneider, participou das duas reuniões preparatórias realizadas visando fundar a Academia Joinvilense de Letras, que aconteceram em 01º e 07 de novembro daquele ano. Contudo, por carta de 10 de novembro, humildemente declinou do convite para integrar a nova entidade que se pretendia fundar, adotando como motivo “o simples fato da felicidade de reconhecer que os meus recursos intelectuais são bem relativos e estão muito aquém de me concederem o elevado título de Acadêmico”.

Passados os anos, em 1972, quando a Academia, já constituída, pretendeu alargar seu rol de fundadores, eis que até então contava com apenas 14 membros, o agora presidente Adolfo Bernardo Schneider recordou-se uma vez mais do nome de Pedro Torrens, tornando a convidá-lo por carta, à qual este respondeu “aceitando a honrosa deferência” e agradecendo “a nobre lembrança do meu nome humilde nas letras”. Infelizmente não conseguiu comparecer à Sessão de Posse designada para 07 de dezembro daquele ano, em função de seu grave estado de saúde, mas fez-se representar no ato por seu filho e nora, que expressamente designou em sua correspondência.

Pouco usufruiu da companhia de seus confrades, eis que veio a falecer exatos 3meses após a posse, a 07 de março de 1973, constituindo-se no primeiro dos fundadores da Academia a falecer.

O desaparecimento desse verdadeiro homem de imprensa deixou uma lacuna no meio joinvilense. No entanto, reativada a Academia em 2013, após anos de adormecimento, teve como um de seus primeiros atos eleger o também jornalista Herculano Vicenzi na condição de sucessor de Pedro Torrens, cuja posse quis o destino veio a ocorrer a 07 de março de 2014, exatos 41 anos da morte daquele fundador.

(pesquisa e redação por: Paulo Roberto da Silva, secretário-geral da AJL, a 27/06/2016).Fonte da imagem: Acervo Pessoal de Sonia Torrens/Joinville-SC.

COMPARTILHE: