Wittich Freitag

wittich-freitag-ajl

WITTICH FREITAG (*1922, Blumenau-SC +1998, Joinville-SC), então Diretor Geral da empresa Indústria de Refrigeração Consul S/A

Filho do casal Oscar e Otília Freitag, Wittich   nasceu em 7 de julho de 1922 em  Blumenau.  Muito jovem ainda foi morar em Joinville, cidade que adotou para a realização dos seus sonhos, e assim foi .  Ali encontrou o grande amor da sua vida, Lilly Harnack , com quem se casou em 1944 e teve três filhas : Diva, Rúbia e Lívia . Wiitich transferira-se para Joinville muito jovem, ainda, a fim de  trabalhar na agência joinvilense da empresa de seguros Livônius .

Em 28 de julho de 1949  –  após a tentativa frustrada de ingressar no mundo empresarial com a Sociedade Comercial Minas Ltda  em sociedade com o Sr. Rodolfo Rechenberg  –    Freitag fundou a Loja Freitag  & Cia Ltda que, além do agenciamento de seguros, comercializava  máquinas de escrever , rádios e eletrolas ( o toca-discos da época)  da Phillips. Lembrando, hoje em dia, eu mesmo custo a acreditar que entregava rádios em Guaramirim e Araquari de bicicleta, conta Freitag em suas memórias [1]. Alguns meses depois Harald Schmalz  tornou-se seu sócio e muito lhe serviria esta sociedade pois, quando foi fundada a Cônsul, ele tornou-se sócio-gerente da loja, permitindo que Freitag se dedicasse inteiramente à fábrica. Resta dizer que em pouco tempo a Loja Freitag tornou-se o maior crediário da cidade.                                                                                                  

O dia 15 de julho de 1950 assinala a fundação da Consul num sábado à tarde, no mesmo dia  em que o Brasil  amargou a célebre derrota para o Uruguai na Copa do Mundo . Com a fundação da Consul começaria nova etapa da vida de Wittich Freitag, afirmando-o como um dos maiores empreendedores do país.

Uma pequena oficina localizada em Brusque, a Oficina Independência, verdadeiro laboratório das mais variadas invenções que a imaginação de Rudolf Sutuzer pudesse conceber, eis o berço da Consul.                                                                                                                                                                                     Ao ser indagado como conseguiu transformar um negócio tão pequeno num empreendimento de tal envergadura, declarou: (…) “o empreendimento Consul foi o resultado de uma conjuntura favorável, e da reunião de pessoas que a mim se associaram: Rudolf Stutzer, Guilherme Holderegger, Oscar Bachmann, Arthur Shlöesser, Valério Walendowski e mais tarde meu irmão Egon”[2]. Além dessas pessoas, a conjuntura era favorável no período pós-guerra permitindo um avanço muito importante para as indústrias brasileiras.

Após uma luta de 10 anos junto aos governos e ministérios, em 10 de março de 1971 fundava-se a EMBRACO – Empresa Brasileira de Compressores S/A, destinando-se exclusivamente à fabricação e ao comércio de compressores herméticos de refrigeração. Em 1976 Consul e Embraco  passaram para o controle acionário  da Brasmotor , fato marcante para a cidade e  período desafiador na vida de Wittich  Freitag.  Após esta grande transação fundou, ainda, três empresas. Freitag & Cia, Baby Shop Freitag e W. Freitag Empreendimentos.

Em 1958   Freitag foi convidado  pelo chefe político Ademar Garcia e Geraldo Wetzel   do PSD ( Partido Social Democrático ) de Joinville,   para candidatar-se ao cargo de  vereador. Freitag que já via com simpatia a possibilidade de ingressar na vida pública e considerando que vereador é o cargo que lida direto com a comunidade, aceitou de bom grado o novo desafio . Além de tudo, sempre demonstrou seu desejo de devolver a Joinville tudo o que a cidade lhe proporcionara em sua trajetória de vida.

Em  3 de novembro de 1958 recebeu diploma de suplente de vereador pela União Joinvilense , uma coligação entre PSD,PTB e PRP, para a legislatura 1959-1962, quando Baltasar Buschele assumiu a Prefeitura. Candidatou-se novamente para a legislatura 1962-1966, com a maior votação dentro do PSD e em segundo no cômputo geral. Neste período ocupou o cargo de vice-presidente da Câmara de Vereadores e fez parte da base de apoio ao então prefeito municipal, senhor Helmuth Fallgatter.

Em 1982 , convidado por Pedro Ivo Campos e Luis Henrique da Silveira ,  candidatou-se à Prefeitura de Joinville para um mandato de seis anos 1983-1988 [3]. Eleito pelo PMDB ( Partido Social Democrático),  seu maior desafio foi administrar uma cidade, lidar com o poder publico, ele que vinha da iniciativa privada.

Enfrentou, com assessoria do seu colegiado, um dos maiores problemas sociais da cidade, a grande invasão das áreas do mangue  pelos migrantes.  A solução, via urbanização,  foi  o maior legado deste primeiro mandato  ao povo de Joinville. 

Nas eleições de 1990, pelo PFL( Partido da Frente Liberal)  elegeu-se Deputado Estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina, para a legislatura 1991-1995. Foi eleito com  23.412 votos, o segundo mais votado. 

Eleito pelo PFL para um segundo mandato como Prefeito de Joinville, deixou sua marca na construção e conclusão do novo prédio da Prefeitura e  construção da  Avenida Marquês de Olinda.

Faleceu em 16 de outubro de 1998 em Joinville/SC.

Principais homenagens e condecorações

  • Medalha Anita Garibaldi, recebida em 1975.
  • Condecoração e Troféu “Capitão do Progresso”, recebidos da Confederação Nacional da Indústria.
  • Título de Destaque do Ano de 1986, concedido pelo Clube de Diretores Lojistas e pelo Sindicato do Comércio Lojista de Joinville.
  • Placa da Cruz Vermelha Brasileira, em 1988, pelo apoio a entidade e suas atividades.
  • Placa e Homenagem da Associação dos Servidores Públicos Municipais de Joinville.
  • Troféu “Perfil de Administração Pública 1983 e 1988”, por ter se destacado como um dos melhores Prefeitos de Santa Catarina.
  • Condecoração do Governo do Estado, pelas obras executadas no aterro sanitário de Joinville.
  • Título de “Cidadão Honorário de Joinville”, em 1995.
  • Recebeu da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, homenagem pela legislatura exercida, in memoriam, em 1999.
  • Megacentro Prefeito Wittich Freitag, pavilhão do Complexo Turístico EXPOVILLE, em Joinville, 2016.

Fonte: Assembleia Legislativa de Santa Catarina – 1945 a 2018.

[1] S.Thiago, Raquel. Eu, Wittich Freitag. Joinville, SC: Movimento e Arte,2000.p. 75.

[2] Idem, ibidem, p.78,79.

[3] O congresso Nacional havia apoiado uma lei regulamentando as eleições, e estabelecia que o mandato seguinte seria de seis anos, para desvincuar as eleições em seus diferentes níveis.

Fonte da imagem: http://www1.an.com.br/jville2001/fotos/pg62-02.jpg

COMPARTILHE: