Escolhido: “Colita” de Else Sant’Anna Brum

Colita é uma cachorrinha muito esperta de pelo marrom claro. Recebeu esse nome assim que nasceu por ter a cauda bem pequenininha. As coisas de que Colita mais gosta são: comer pão com leite, passear e conversar. Assim que o sol aparece, ela sai para o jardim.         Numa manhã, o primeiro amigo que Colita encontrou foi o Caracol.

– Bom dia, Caracol! O que anda fazendo?

– Levando, levando, levando… Levo minha casa nas costas pra lá e pra cá, mas também quando chove, só preciso me encolher e pronto. Fico tranquilo dentro dela. Não acha isso muito bom?

–  Bom se todos tivessem uma casa para morar, respondeu Colita.

Logo adiante Colita encontrou a Formiga.

– Bom dia, Formiga! O que anda fazendo?

– Carregando, carregando, carregando… Carrego folhinhas e outros petiscos para fazer o pão dos meus filhos. Trabalho todo o verão. Quando chega o inverno, trazendo frio e chuva, meu formigueiro está com todo o alimento de que preciso.

Andando mais um pouco, Colita encontrou a Cigarra, que vinha voltando de uma festa com o violão nas costas.

– Olá, Cigarra! O que anda fazendo?

– Cantando, cantando, cantando… Cantar é o meu prazer. Passo a vida cantando e assim é toda a minha família.

– Ah! Pulo de alegria quando ouço você cantar anunciando o Natal de Jesus!

Colita continuou seu passeio até que escutou um zumbido. Olhou e viu uma abelha dentro de uma flor.

– Alô, Abelha! O que está fazendo?

– Sugando, sugando, sugando… Sugo o néctar das flores para fazer o meu mel. Sei o quanto ele é precioso, por isso ponho nele todo o meu carinho. Dependendo das estações do ano e das flores que encontro, faço mel com sabores diferentes.

Logo a seguir a cachorrinha viu parado no ar um bonito beija-flor.

– Bom dia, mimoso Beija-flor! O que anda fazendo?

– Catando, catando, catando… Cato musgo, palhinhas e fios para fazer meu ninho.

– Ah! Sei como é lindo o ninho dos beija-flores. É uma obra de arte! Acho que você e o João-de-barro são os pássaros que tem os ninhos mais originais.

– Piu, piu, piu – escutou Colita – e à sua frente apareceu um pintinho tão amarelo que parecia uma gema de ovo.

– Bom dia, amigo Pintinho! O que anda inventando?

– Ciscando, ciscando, ciscando… Já estou crescido e sei procurar sozinho o que comer. Mamãe me ensinou que ciscando e revirando as folhas no chão a gente encontra muitos petiscos gostosos!

Bem no final do jardim, num caramanchão ao lado do poço, Colita encontrou um Louva-a-Deus, de mãos postas e olhos para o céu.

– Bom dia, senhor Louva-a-Deus! O que está fazendo?

– Louvando, louvando, louvando… Louvo a Deus por este mundo tão bonito que Ele criou. E você, cachorrinha, o que anda fazendo?

– Conversando, conversando, conversando… Gosto de conversar. Hoje conversei com vários amigos e vi que cada um tem o que fazer. Mas senhor Louva-a-Deus, vou indo para casa  porque a fome está  batendo e meu estômago já está roncando, roncando, roncando…

Bem naquele momento ela escutou sua dona chamando: – Coliiiiita! E saiu em disparada!

 

 

COMPARTILHE: